sábado, 3 de outubro de 2009

O pessimista é, sobretudo, um chato.

Por: Rita de Cássia de A. Almeida

Tenho me dado conta de que o pessimista é, sobretudo, um sujeito chato. Aquele do tipo que assiste a um jogo da seleção brasileira do seu lado e fica azarando a partida toda, só vê defeito em tudo. Se a seleção ganha, ele pode até comemorar, com algumas ressalvas é claro, mas se, por infelicidade sua, a seleção perde, haja paciência, ele não vai se cansar de repetir tudo que havia previsto com sua bola de cristal azarenta.

Com a vitória do Rio de Janeiro para sediar das olimpíadas de 2016, os pessimistas de plantão já estão dando seus palpites. Como verdadeiros cavaleiros do apocalipse, eles já anunciam as desventuras dessa investidura brasileira. Já imaginam os seqüestros, as balas perdidas e a criminalidade fazendo pano de fundo para os eventos e festividades. Também usam como argumento o fato do Rio de Janeiro ter muitas coisas mais importantes para se preocupar, não devendo estar na sua lista de prioridades um evento esportivo dessa envergadura.

Os pessimistas não percebem que uma Olimpíada pode modificar desde já a realidade de um lugar, de uma cidade e de um país. Não entendem que se o Rio precisa mudar sua realidade social, reinventar a paz e fortalecer seu tão abalado posto de “cidade maravilhosa”, então não existe motivação ou investimento melhor do que esse. Políticos, governantes, investidores, organizações e/ou instituições que viraram as costas para o Rio, apostando que abandonar o barco seria a melhor saída, agora terão que rever suas posições e fazer novamente dessa cidade a capital do país, ainda que seja a capital esportiva.

Grande parte do sucesso de Lula se deve ao fato dele fazer parte do time dos otimistas. Dos que apostam nas vitórias e nos acertos. Dos que não admitem perder o jogo antes de iniciada a partida. Pessoas de sucesso pensam assim.

Mas, lembrando novamente daquele amigo chato que assiste futebol com você, acredito que ele não se importe muito com o resultado da partida. O que ele quer mesmo é, no final das contas, te dizer aquela frase insuportável: “Eu não disse?” E o pior de tudo é que ele sempre se sentirá autorizado a utilizar tal frase, porque, mesmo que o time ganhe, ele sempre encontrará algum motivo para botar defeito, para te dizer que não foi tão perfeito assim (e como perfeito nunca será mesmo...). Na verdade o pessimista é um chato porque não está preocupado com o desdobramento das coisas; o que ele quer mesmo é ter sempre razão.

http://twitter.com/rcaalmeida

4 comentários:

  1. Excelente texto! Eu sou do time dos que tem orgulho, dos que acredita. São os otimistas que realizam grandes mudanças e que constrói uma nova realidade! Parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Obrigada Guga! Então vc é do meu time! um abraço

    ResponderExcluir
  3. Olha só, não sei se não vou repetir o erro, pq o comentário que postei anteriormente não aparece...sei lá pq. Vamos lá então, retomando o q não apareceu: adorei o texto e tens toda razão que são chatos mesmo! pessimistas que se explodam e vamos em frente acreditando nesse grande País!Continua, menina, escrevendo, que nos faz bem.

    ResponderExcluir
  4. Obrigada Fernanda! Seu incentivo também me faz bem. um beijo

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu comentário.